Teresina - PI

Min 22ºMax 31º

19 de abril de 2018

Barro Duro do Piauí

Barro Duro do Piauí

Neto Pereira Notícias de Barro Duro do Piauí e Região

[email protected]

(86) 999771464

Postada em 15/02/2018 ás 14h00
Ex-policial que matou jovem na capital começa a ser julgado
Crime aconteceu em fevereiro de 2016

Publicada por: Neto Pereira

Fonte: MN

Ex-policial que matou jovem na capital começa a ser julgado

Imagem Divulgação (Crédito: Divulgação)

Teve início nesta quinta-feira (15), no Tribunal do Juri, o julgamento do ex-policial militar Igor Gabriel de Oliveira, 24 anos, acusado de assassinar o jovem Allan Lopes de Oliveira Silva, de 26 anos, em fevereiro de 2016 em um posto de combustíveis da zona Leste de Teresina. 

A vítima foi assassinada com três tiros, dois nas costas e um na nuca. Segundo o inquérito, o jovem não teve chance de defesa. Segundo a Polícia Militar, o acusado respondia a outros inquéritos militares quando cometeu o crime, dentre eles abuso de autoridade e tortura. Igor Gabriel de Oliveira foi expulso da corporação ainda no ano de 2016. O julgamento é presidido pela juíza Maria Zilnar Coutinho Leal.  

  Ex-soldado Igor Gabriel (Crédito: Reprodução ) Ex-soldado Igor Gabriel (Crédito: Reprodução )

Segundo a mãe da vítima, desde que Allan Lopes foi assassinado, a família nunca mais teve saúde. Para ela, a família ainda tenta entender o que levou o acusado a assassinar seu filho. 

“Só muita tristeza. Todo dia tenho que tomar remédios, tenho problemas de pressão e a gente não teve mais saúde e sossego depois do que esse homem fez com meu filho. Eu quero que ele pague, queria saber o porquê que ele fez isso com meu filho, porque até agora não estou sabendo”, desabafou a mãe da vítima. 

Allan Lopes  (Crédito: Reprodução ) Allan Lopes (Crédito: Reprodução )

De acordo com o promotor Regis Marinho, responsável pela acusação, a vítima foi morta sem chance de defesa, em um momento de descontração. A promotoria defende a tese de homicídio qualificado. 

"A tese da acusação é que trata-se de um homicídio qualificado, por motivo fútil e pela utilização de recursos que dificultaram ou tornaram impossível a defesa da vítima, que foi colhida de surpresa por um tiro no pescoço e outra na região escapular, estava desarmada em um momento de descontração”, afirmou. 

A defesa do acusado alegou que o ex-policial agiu em legítima defesa no dia do crime. A expectativa é que o julgamento seja concluído na tarde hoje. 

Veja também
Prefeito e vice
Vereadores
Mais lidas da semana
Empresas destaques
© Copyright 2018 - Portal Estado Piauí - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium