Teresina - PI

Min 23ºMax 29º

21 de maio de 2018

Amarante

Amarante

Sávio Lages Notícias de Amarante e Região

[email protected]

(86) 9436-1503

Postada em 05/04/2018 ás 09h15
Programa de aceleração seleciona startups lideradas por mulheres
Programa é comandado pela W55, primeiro ecossistema brasileiro criado para fomentar, capacitar e financiar o empreendedorismo feminino

Publicada por: Sávio Lages

Fonte: Luciana Silva

Programa de aceleração seleciona startups lideradas por mulheres

Imagem:ilustração

 

 

 

Com processo totalmente gratuito, inscrições acontecem de 22 de março a 22 de abril de 2018 

A W55, o primeiro ecossistema gratuito voltado a capacitar, acelerar e financiar empresas fundadas e lideradas por mulheres no Brasil, abrirá na próxima quinta-feira, 22 de março, as inscrições para o seu primeiro programa de aceleração de startups. O programa selecionará seis startups e oferecerá durante seis meses acesso facilitado a capital, cursos de capacitação e networking com investidores. A iniciativa pioneira surgiu de uma parceria entre Fernanda de Lima, CEO da Gradual Investimentos, e Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora (RME). As candidaturas poderão ser submetidas até o dia 22 de abril pelo formulário disponível no site https://pt.surveymonkey.com/r/w55aceleracao2018.

O programa conta também com metodologia desenvolvida pela ACE Startups, empresa de investimento de startups que já acelerou 170 empresas e foi escolhida três vezes como a melhor aceleradora da América Latina pelo LatAm Founders.

Segundo Célia Kano, Head de Aceleração da W55, a expectativa da W55 é incentivar o empreendedorismo entre as mulheres de diferentes idades, classes sociais, etnias, orientação sexual e regiões do País. “Estaremos atentas ao perfil da nova geração de empreendedoras brasileiras”, explica Célia. Para se inscrever, a candidata deve de fato liderar o negócio, com dedicação full time e ocupar papel estratégico de tomada de decisão na startup.

Após selecionadas, as startups serão acompanhadas individualmente pela W55 até novembro. O ecossistema oferecerá mentorias individuais e coletivas com especialistas de mercado para tratar de temas relacionados ao modelo de negócio da startup e abordar os desafios pessoais de cada empreendedora. As mentorias serão dadas por parceiros da rede da W55 e o time de mentores da ACE Startups, que ficará responsável pela metodologia do programa. As mulheres terão, ainda, acesso a espaços de coworking em São Paulo, além de mentoria jurídica.

A intenção é que, ao final do processo de aceleração, as startups já possuam um modelo de negócios com potencial de mercado e projeções de crescimento. Uma vez estruturadas, as empresas poderão receber aportes financeiros da própria W55 ou atrair a atenção de investidores externos. Segundo a Head de Investimentos Itali Collini, o acesso de investidores será democrático. O ecossistema terá uma plataforma de equity crowdfunding – modalidade que possibilita que investidores com tíquetes menores possam participar da rodada de investimento, a partir de R$ 500. As empresas também estarão abertas a investimento-anjo, efetuado por pessoas físicas com capital próprio, e aportes do micro Venture Capital da W55. “A ideia é fazer da W55 uma grande vitrine para essas empresas”, enfatiza Itali.

Parcerias

A W55 contará com o apoio da Gradual Investimentos e a Rede Mulher Empreendedora (RME). Além disso, a W55 firmou parcerias com a ACE, idealizadora da metodologia que avaliará o amadurecimento de cada startup durante o processo de aceleração e com o escritório Baptista Luz, que fará a mentoria jurídica das startups.

Diferenciais

Um diferencial do programa é que o ecossistema prioriza startups em fase inicial de atuação. Enquanto a maioria das aceleradoras prefere atuar com empresas em fases mais maduras, a W55 opta por startups com protótipos em desenvolvimento ou finalizados. Segundo Célia, o período de ideação é um dos mais críticos do processo criativo, já que exige muitos testes para validação do modelo de negócio e cobra muita resiliência da empreendedora nesse período. “A maioria das startups não ultrapassa o “vale da morte”. Já as que passam chegam fortalecidas à fase de validação com investidores e possuem grande chance de sucesso no mercado”, explica Célia.

Outro benefício é que o programa será equity free, ou seja, totalmente gratuito, desde a fase de inscrição até o fim do processo de capacitação. Ao contrário de outras aceleradoras, o W55 não reivindica um percentual da startup acelerada em troca dos serviços prestados na aceleração.

Para democratizar ainda mais o acesso à capacitação e motivar outros projetos liderados por mulheres, o site da W55 disponibilizará a Trilha Empreendedora e a Trilha de Educação Financeira, conteúdos exclusivos e abertos sobre empreendedorismo e finanças. As internautas poderão acessar textos, livros e vídeos gratuitamente.

A W55 surgiu inspirada no W20, grupo criado pelo G20 em 2015 para assegurar a igualdade de gênero e fortalecer economicamente as mulheres. O ecossistema já se prepara para receber novas turmas em outras edições. A intenção é realizar o programa de aceleração duas vezes ao ano, aumentando gradativamente o número de empresas atendidas

Veja também
Prefeito e vice
Vereadores
Mais lidas da semana
Empresas destaques
© Copyright 2018 - Portal Estado Piauí - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium