Teresina - PI

Min 21ºMax 34º

17 de julho de 2018

Cocal

Cocal

Evaldo Neres Notícias de Cocal e Região

[email protected]

(86) 99919-1492

Postada em 27/04/2018 ás 18h00 - atualizada em 27/04/2018 ás 18h21
Síndrome “Mão-pé-boca” acomete principalmente crianças de até seis anos
O nome da doença já menciona os principais órgãos atingidos.

Publicada por: Evaldo Neres

Fonte: AI Comunicações

Síndrome “Mão-pé-boca” acomete principalmente crianças de até seis anos

Síndrome “Mão-pé-boca”/Imagem: Gestação de bebê

Uma enfermidade que é comum em crianças de até seis anos de idade é a síndrome “mão-pé-boca”. O nome da doença já menciona os principais órgãos atingidos. A síndrome é uma infecção provocada, em sua maioria, pelo vírus Coxsackievirus A16. Ele afeta as vias superiores e se manifesta como um resfriado ou virose. Segundo Augusto Borges, pediatra do Hapvida, alguns dos sintomas são comuns de outras viroses, como tosse, espirro, febre ─ que pode variar entre 38 e 39 graus ─ e falta de apetite, lesões nas mãos, pés e na boca.

Síndrome

Foto: Gympietimes

“Em dois dias, lesões começam a aparecer em forma de bolhas pequenas, que podem ficar cheias de pus; também há incômodos com coceiras e surgimento de aftas na boca”, explica o médico.

O contágio é feito por fluidos infectados, como, suor, saliva e urina, além de fezes e objetos de uso pessoal, que também podem ser contaminados. A síndrome perdura de cinco a nove dias no paciente. A criança infectada precisa ficar em casa por até sete dias para não transmitir o vírus.

“É importante frisar que as fezes da criança ainda ficam contaminadas por um mês, e quem fizer a higienização do pequeno precisa ter muito cuidado para não se contaminar. Adultos também podem contrair a síndrome”, explica o médico pediatra Augusto Borges.

O tratamento é sintomático, ou seja, é tratado de acordo com as manifestações da doença no corpo.

PEDIATRA ALINNE BARROS, DO HAPVIDA SAÚDE

1)      O que é a síndrome “Mão-pé-boca”?

A síndrome, ou doença Pé-Mão-Boca, é causada por um enterovírus, ou seja, um vírus que mora no nosso trato gastrintestinal. Ele acomete, principalmente, crianças menores de 5 anos. O contágio é, basicamente, por contato com secreções infectadas, fezes infectadas, objetos de uso pessoal que foram contaminados.

I

2)      Quais os primeiros sintomas?

síndrome

Foto: The Coverage

Como em quase toda virose, a doença começa se manifestando como um resfriado. Começa com tosse, espirro, febre (que pode variar entre 38 e 39 graus) e falta de apetite. Aproximadamente 48 horas depois, começam a surgir lesões nas mãos, nos pés e na boca, na apresentação que a gente chama de clássica. Essas lesões aparecem na faringe, nas amígdalas e alguns bebês têm aftas. Nas mãos e nos pés, as lesões são vesículas, bolhas pequenininhas, que podem ficar cheias de pus. São lesões dolorosas, que podem coçar e incomodar bastante as crianças.

3)      Qual o período de duração da doença e o tratamento?

As crianças infectadas precisam ficar em casa por até 7 dias para não transmitir o vírus. E as fezes ficam contaminadas por até 4 semanas, cerca de 1 mês, ou seja, quem limpar o bebê tem que se higienizar muito bem.

O tratamento é sintomático, como em qualquer outra virose, pois a doença em si tem um ciclo autolimitado. Se der febre, antitérmico; para as dores, analgésico. O ideal é preferir banhos frios, pois a água em temperatura mais elevada incomoda mais, já que as lesões deixam a pele muito mais sensível.

Síndrome

Foto: The Inquisitr

Veja também
Prefeito e vice
Vereadores
Mais lidas da semana
Empresas destaques
© Copyright 2018 - Portal Estado Piauí - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium