Postada em 20/05/2019 ás 15h40
Crianças superam transtornos de aprendizagem após tratamento gratuito em Teresina
O serviço é pioneiro no Nordeste e é mantido pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Publicada por: Redação Estado Piauí

Crianças superam transtornos de aprendizagem após tratamento gratuito em Teresina

Cerca de 42 alunos já superaram transtornos de aprendizagem após tratamento prolongado oferecido no Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar (CMAM). O serviço é pioneiro no Nordeste e é mantido pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), e tem como público alvo as crianças e adolescentes de escolas públicas.

Quem comemora os resultados do serviço é a vendedora autônoma, Eliana Lopes. A filha de 7 anos foi diagnosticada com Déficit de Atenção e Hiperatividade. “A Érica Cristal tinha dificuldade na fala, embolava a língua, além de não ficar quieta na escola, não sentava direito. Agora, com o tratamento, ela melhorou muito. Já está até soletrando. No CMAM é todo mundo educado, aqui é ótimo”, conta.

“O aluno que não acompanha a turma porque tem transtorno de aprendizagem pode perder a motivação para os estudos, sofrer bullying, prejudicar o seu rendimento escolar e o seu futuro educacional. Então, as secretarias da Saúde e da Educação uniram esforços para criar o CMAM, que favorece o desenvolvimento das crianças nos aspectos psicológicos, afetivos, sociais e acadêmicos”, ressalta Charles Silveira, presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Para ter acesso ao CMAM, as crianças e adolescentes com idade entre cinco e 16 anos devem ser encaminhadas pela rede pública de ensino, com suspeita de algum transtorno de aprendizagem. “O Centro oferece atendimento completo, contando com neuropediatra, psiquiatra, psicólogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e assistente social”, afirma a coordenadora Daniela Escórcio.

De acordo com o psiquiatra Francisco de Brito, a situação do aluno que tem dificuldade nas habilidades escolares e fica sem tratamento é uma bola de neve. “Ele evolui de ano e o aprendizado vai ficando defasado. É preciso que o familiar compreenda a situação, que não é falta de vontade ou gênio ruim da criança ou adolescente. É dificuldade e nós estamos aqui no CMAM para reabilitá-los, para que acompanhem os outros da mesma idade no aprendizado”.

Francisco de Brito explica ainda sobre determinados transtornos de aprendizagem que acometem crianças e adolescentes e que são recorrentes no CMAM: “O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) trata-se de uma dificuldade na questão da concentração, com variante desatento, hiperativo/impulsivo ou misto. Há outras demandas atendidas, a exemplo de dislexia, disgrafia, discalculia e disortografia.”

A psicopedagoga do CMAM, Marta Késia, alerta que as escolas também precisam desenvolver desafios possíveis para esse aluno com transtorno de aprendizagem e não só uma atividade padrão, em que todos terão que resolver. “É preciso um olhar diferenciado e deve-se adotar uma série de estratégias em sala de aula, a exemplo de deixá-lo sentado mais próximo do quadro, longe de portas e janelas, que são fatores que o distraem”, explica.

Veja também
Mais lidas da semana
Empresas destaques
© Copyright 2019 - Portal Estado Piauí - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium