Teresina - PI

Min 22ºMax 31º

19 de abril de 2018

Postada em 30/11/2017 ás 18h55
Capitão Allison Watson é indiciado por feminicídio
O inquérito aponta para materialidade do homicídio doloso praticado pelo Capitão da PM-PI. Ele foi indiciado por três crimes: homicídio duplamente qualificado por feminicídio e sem chances de defesa à vítima; ocultação de cadáver; e fraude processual.

Publicada por: Redação Estado Piauí

Fonte: Teresina Diário

Capitão Allison Watson é indiciado por feminicídio

Foto: Reprodução

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte da estudante de Direito Camilo Camila Abreu, e indiciou o namorado da vítima, capitão Allison Watson, por três crimes: homicídio duplamente qualificado por feminicídio e sem chances de defesa à vítima; ocultação de cadáver; e fraude processual.

"Analisando os laudos periciais, ouvindo testemunhas, inclusive o depoimento do acusado, além de outros procedimentos de investigação, o inquérito aponta para materialidade do homicídio doloso praticado pelo Capitão da PMPI", afirma delegado e coordenador da Delegacia de Homicídios, Delegado Francisco Costa, o Baretta, que presidiu o inquérito policial. 

O documento foi entregue na manhã desta quinta-feira (30) à Corregedoria da Polícia Civil (PC) e ainda será  encaminhado para o Poder Judiciário.

O comunicado foi feito na tarde desta quinta-feira (30), por meio de uma nota emitida pela assessoria da Secretaria de Segurança, em nome da Delegacia Geral. Após concluir o inquérito, cabe agora ao Poder Judiciário o julgamento doi processo.    

Relembre o caso 

O crime aconteceu no dia 19 de junho desse ano, depois que o casal saiu de um quiosque na avenida principal do bairro Morada do Sol e foi deixar uma amiga em casa. Mas o corpo só foi encontrado depois na zona rural de Teresina, no povoado Mucuim. 

O próprio capitão da PM acompanhou os policiais para dizer onde abandonou o corpo. Imagens das câmeras de segurança de uma loja de venda de bancos de carros  mostraram que o indiciado ainda tentou ocultar provas, trocando o banco do carro, que ainda estava manchado mesmo depois do policial ter levado o veículo para lavar em um lava jato.  

No último dia 17 de novembro, a perícia do Instituto Médico Legal (IML) divulgou o laudo completo sobre a morte da estudante, no qual constava que a jovem passou por um “intensivo sofrimento” antes de ser baleada. O documento ainda revelou que, antes de falecer, Camila sofreu lesões no tronco e em uma das pernas. Só depois foi morta com um tiro na cabeça.

Veja também
Mais lidas da semana
Empresas destaques
© Copyright 2018 - Portal Estado Piauí - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium